Reporte de Sessão – Monsterhearts (12/09/2016)

O report abaixo é da minha segunda sessão de Monsterhearts que aconteceu no dia 12/09/16 e foi sem dúvida uma das minhas melhores sessão de RPG na vida. Publiquei o resumo abaixo no grupo de Monsterhearts do Facebook e estou replicando no blog para não perder.


selene.JPG
Selene, personagem da Mari

Selene, a lobisomem, começou a se pegar forte no corredor da escola com Edward, o ghoul. O que eles não viram foi o Rick, ex-namorado da Selene, passando no corredor e entrando em desespero. Ele achava que ainda tinha chance de reatar, que era só uma fase da Selene. Na semana seguinte durante a aula de história, quando Edward foi pedir para uma colega botar o nome dele no trabalho da semana, ele pediu para Selene que passasse na casa dele para terminar esse assunto de uma vez por todas.
Quando Selene chegu na casa do Rick, foi muito bem recebida pela mãe dele, que sentia saudades da ex-namorada do filho. Ela a levou até o quarto dele, e eles estudaram por agumas horas. Rick parecia distante, desinteressado, evitando conversar de qualquer coisa que não fosse o trabalho de história. Mas uma hora ele não aguentou. Levou até a escrivaninha, puxou um revólver e apontou para Selene. “Eu achei que a gente ia ficar junto para sempre. Por que você foi ficar com aquele idiota? Por que?”.
Selene conseguiu manter a calma, olhou fundo nos olhos do ex-namorado e falou “Você não vai conseguir fazer a gente voltar apontando essa arma pra mim. Abaixa isso”. Foi a gota d’água na vida miserável dele – apontar uma arma para o amor da vida dele? O que ele estava pensando? Mas ele iria resolver isso. Apontou o revólver para a própria cabeça. E puxou o gatilho.


Rick gastou um de string para pedir que Selene fosse até a casa dele, mesmo sem ter muita vontade de se envolver novamente num romance há muito abandonado. Quando Rick puxou a arma, Selene passou em um teste de hold steady, e gastou um de string para fazer ele ficar paralizado por um instante, suficiente para ela tentar argumentar, manipular o Rick a largar a arma. O resultado foi consequência do 6- nesse teste.
“Make the human seem monstrous”.


 

edward.JPG
Edward, personagem do Thadeu

Edward, o ghoul chegou na casa do Rick em procura da Selene menos de uma hora depois. Em meio a confusão, tentou descobrir o que tinha acontecido, mas ninguém tinha informações precisas. Resolveu procurar informações atrás do véu, no mundo dos mortos. Mas ele não conseguiu resistir aos impulsos, e se tornou uma besta faminta por medo e desespero. Tentou alimentar sua fome de medo dos vizinhos, mas não foi suficiente. Ele precisava de mais. Precisava saciar sua fome por Selene.
Seguiu instintivamente o caminho até cabana que costumavam se isolar de vez em quando, e seu palpite estava certo. Encontrou Selene no meio do bosque, e foi tentar se aproximar dela. Selene, ainda com a roupa cheia de sangue reconheceu o estado que seu amante estava, e viu que iria precisar prendê-lo por algumas horas. Se jogou por cima dele para imobilizá-lo, esperando que ele fosse resistir, mas não foi isso que aconteceu. Sentiu ao invés disso as mãos de Edward em suas partes íntimas, buscando contato sexual. Isso foi suficiente para fazer ela explodir em fúria, transformando-se em um lobisomem que destroçou Edward em pedaços.
Quando voltou a si, nua e em pânico por ter feito isso com uma pessoa tão próxima, recolheu os pedaços e levou até a cabana. Ela sabia que ele iria voltar, mas não se iria perdoá-lo.


Edward falhou em um teste de Gaze into the Abbys, o que fez com que ele se tornasse o seu darkest self. Assustar os vizinhos não foi o suficiente para aplacar a fome, e ele lembrou do hunger que criou por ter feito sexo com a Selene. O resultado foi uma cena pesadíssima, forte o suficiente para eu parar o jogo e perguntar se todo mundo estava bem e se queriam continuar.


Quando li que esse jogo era intenso, não tinha ideia de que seria tanto assim. Absolutamente épico. Um enorme agradecimento ao Rafão Araujo por me dar uns toque essenciais pra que esse tipo de coisa acontecesse.

Gerador de Locais Interessantes

Salve pessoal! Aproveitando um trampo foda do  Alisson Vitório e Luciano Campos Tardock na tradução do Gerador de Locais Interessantes do Grim World, resolvi transformar o gerador em uma página, para facilitar ainda mais o trampo dos MJs. Clique na imagem abaixo e confira!

gerador.JPG

Sugestões, críticas e idéias são todas bem vindas. Não deixe de conferir também a comunidade sensacional do Dungeon World Brasil no Facebook, um dos lugares mais amigáveis do RPG nacional. Até a próxima!

Funnel World – Resenha

Funnel World é um suplemento de 32 páginas para o Dungeon World escrito por Jason Lutes, à venda na DriveThruRPG por quatro dólares.

funnel2

Mundo dos Funis?!?

Para quem não conhece, o termo “funil” foi criado no sistema OSR Dungeon Crawl Classics. A ideia é bastante simples: ao invés de começar com um aventureiro nível 1, já com classe e equipamento apropriado para embarcar na masmorra, você começa o jogo controlando vários personagens aldeões nível zero, com pouco mais que a roupa do corpo e os implementos de sua profissão, e os coloca em uma aventura mortal.

A intenção parece ir completamente contra o bom senso geral dos RPGs modernos, de criação de um personagem complexo, rico com background e personalidade. Ao invés disso, o funil tem como intenção criar a ferro e fogo a história do futuro aventureiro – se ele sobreviver!

dccfunnel
Apenas um dia comum em um funil de DCC

Apresentação

O PDF do Funnel World é feito em um estilo oldschool, com muito bom gosto nas fontes e na diagramação. A arte é cartoon bem ao estilo que você encontrava nas Dragon Magazines antigas, não chama a atenção mas é mais agradável que um PDF wall of text como existem aos montes na cena indie.

funnel
Um grupo de aventureiros do Funnel World, armados até os dentes, pronto para um dungeon crawl

Aldeões de Nível 0

Esqueça os atributos padrão do Dungeon World – para criar um personagem você rola 3d6 em ordem para cada atributo. Os pontos de vida são o valor de Constituição dividido por 4, bem no padrão hardcore oldschool. Você não escolhe classe nem raça – todos os personagens criados são Aldeões nível 0, e o dano de todos eles é – adivinha – d4.

O que diferencia os aldeões é a sua ocupação, determinada através de uma rolagem de 1d100 e consultando a tabela no livro. A ocupação determina não apenas o equipamento inicial do aldeão, mas também a raça. Só é possível jogar com um anão ou elfo se você tirar uma das ocupações raciais que existem na lista. Como era de se esperar, as ocupações são bastante variadas. Alguns exemplos abaixo:

  • Carpinteiro – machadinha de mão, serrote de mão
  • Queijeiro – cajado, saco de serapilheira, roda de queijo (vale por 4 rações)
  • Elfo caçador – arco curdo, flechas (1d4 de munição)
  • Adivinh0 – nada
  • Pastor – cajado curvado, 1d4 ovelhas

O livreto também tem regras para determinação aleatória do gênero, nome, características e até mesmo dos vínculos.

Além da criação diferenciada, os aldeões possuem alguns movimentos diferenciados. O movimento básico é Know Your Stuff – se for fazer um Falar Difícil ou Discernir Realidades relacionada a sua ocupação você tem +1 adiante no teste, e se tiver os recursos e tentar fazer algo relacionado a sua profissão você consegue sem fazer teste. Três movimentos básicos são alterados: Último Suspiro agora significa simplesmente que você morreu, sem direito a teste; Fim da Sessão adiciona a pergunta “Nós testemunhamos uma morte horrível de um companheiro?”, e Aumentar de Nível que traz as regras para ganhar uma classe definitiva do livro básico. O livro também traz regras opcionais de Sorte, para os puristas que querem ficar próximos ao Dungeon Crawl Classics.

Funnel Starter

O livreto possui ainda quatro Funnel Starters. Construído nos moldes dos excelentes Dungeon Starters do Marshal Miller, eles apresentam o esboço de uma situação inicial, com bastante espaço para a criação compartilhada com os jogadores através do princípio Faça perguntas e use as respostas. Os starters permitem começar um jogo rapidamente, mesmo sendo pouco mais que um esqueleto. Alguns possuem movimentos extras, relevantes à situação dos pobres aldeões.

A editora publicou também um livreto chamado 3 Fiendish Funnel Starters, de graça no DriveThruRPG que tem starter ainda mais.. pitorescos, podemos dizer assim. De quebra, o final do livro tem uma lista de aventuras OSR que autor sugere  adaptar para o Funnel World, principalmente as que já são funis de nível 0 da editora Goodman Games.

Avaliação Final

No final da leitura, a minha avaliação é bastante positiva. Desde a bolha d20 eu aprendi a não esperar muito por um PDF de quatro dólares, porém o Funnel World surpreendeu pelo cuidado na apresentação e no texto. Mesmo em uma resenha tão extensa para um livreto de 32 páginas ainda deixei de fora coisas excelentes como as regras de criação de vilareijo e de aumento de nível. Claramente foi um trabalho muito bem feito pelo Jason Lutes e que me deixou com vontade de mestrar uma aventura do tipo funil o mais rápido possível.

Antes de encerrar, deixo mais uma dica para quem gostou da idéia do funil e gostaria de conhecer melhor: o Adam Koebel mestrou uma campanha no programa Missclicks utilizando o material do Funnel World. Vale a pena conferir:

#RPGaDay 2016 – Sistema Mais Desafiador, Mas ao Mesmo Tempo Recompensador, Que Você Aprendeu?

Saudações, aventureiros! Estou de volta ao blog, depois de quase um ano desaparecido. Mas sem enrolação, vamos para o RPGaDay de hoje:

13937925_1657378261249950_7145049865603813220_o

Sistema Mais Desafiador, Mas ao Mesmo Tempo Recompensador, Que Você Aprendeu?

Esse título vai sem dúvida para o Burning Wheel. Eu fiquei com receio de responder com o BW, pois eu ainda acho que não aprendi completamente o sistema. Ainda não consegui engatar nenhuma campanha, apenas algumas sessões não muito satisfatórias. O que é bem estranho, considerando o quanto já li e escrevi sobre esse sistema. Ainda por cima, tenho duas cópias do livro em casa, além da edição revised, e todos os suplementos que consegui colocar as mãos.

bwg

No final das contas, decidi por manter minha escolha devido ao Mouse Guard. Apesar de ser um derivativo do BW, as regras são parecidas o suficiente para colocar no mesmo pacote.

mg
Só ver essa capa já me dá vontade de jogar novamente…

E você leitor, qualfoi o sistema de RPG mais desafiador e recompensador que aprendeu?